Julia Codo escreve um poema para foto de Brooke DiDonato

Quinta-feira

Sonhei com a fotografia
e caí da cama
a mão bateu no copo
o vidro quebrou
a água
molhou o lençol
inundou o quarto

Saia daí
eu dizia
isso que está acontecendo
aí embaixo
é impossível
não faz sentido

Saia já daí
em volta da cabeça
vejo uma coroa de flores
mas é água ou gelo ou vidro
ou bolhas
saindo das narinas

Não consigo ver os olhos
ou os seios
mas as mãos estão presas
no box do banheiro
saia daí
a água vai endurecer
você vai bater a cabeça no vidro
e se cortar

todo líquido vai se tingir
de sangue

Está fazendo frio
no verão
saia daí
você vai ficar gripada
e vão dizer
coronavírus

A cidade vai alagar
ficar submersa
Atlântida, Pavlopetri, Petrolândia
um carro boiando
de ponta cabeça

Saia daí
acorde mais cedo
anime-se
vá fazer alguma coisa
trabalhar
escrever
picar cebolas
para o almoço
não se corte
não se molhe
saia daí

Brooke DiDonato

 

Julia Codo nasceu em São Paulo em 1983. É escritora, editora, tradutora e roteirista. Escreve crônicas em Como salvar seus olhos (hiperlink: https://juliacodo.wordpress.com/)

Brooke DiDonato, fotógrafa e artista visual, nasceu em Ohio e agora vive e trabalha em NY. (hiperlink: http://www.brookedidonato.com/)

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s