O ponto de vista de Mariane Rotter

Em 2002, ao fotografar cenas de rua em Porto Alegre, Mariane Rotter percebeu que seu olhar, a um metro e trinta do chão, capturava enquadramentos incomuns.

Enquadramentos que acabavam por esconder o que seria, via de regra, o foco principal de um retrato – o rosto das pessoas, suas identidades –, mas que evidenciavam outros detalhes: braços, mãos, gestos.

“Naquele instante percebi que explorar minha baixa estatura a partir da fotografia seria uma possiblidade rica e instigante”, diz. “Foi quando decidi registrar o cotidiano a partir de um programa previamente estabelecido: tudo o que via sob a linha do horizonte dos meus olhos”, conta.

Dando continuidade ao projeto, Mariane vem produzindo uma nova série realizada em lugares estranhos ao seu cotidiano, locais desconhecidos, outras cidades e contextos.

“‘Check In’ faz essa referência a um gesto de aproximação e apropriação temporária de um local. Um convívio breve, mas cheio de intenções”, explica.

O projeto prevê viagens a lugares distantes, para estabelecer novos vínculos e conexões.

“Quero tornar, com o gesto de fotografar, o longínquo e diferente, próximos. E investigar a ocupação do meu corpo nestes novos lugares, sob o meu ponto de vista”.

Veja as fotos de Meu ponto de vista: Check In, de Mariane Rotter, aqui

Mariane Rotter Meu ponto de vista Check in Barraco Cultural 2019

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s