Merce Cunningham: tão preciso e impermanente quanto respirar

Em 1955, Merce Cunningham publicou o artigo “The Impermanent Art”. Traduzi alguns trechos. Em 1991, foi fotografado por Herb Ritts. Fica aqui minha homenagem, no ano de seu centenário.

“Nos últimos anos ocorreu uma mudança de ênfase na prática das artes da pintura, música e dança. Ainda não há rótulos, mas há ideias primariamente relacionadas com algo que está exatamente em seu tempo e lugar e não em sua referência real ou simbólica com outras coisas. Uma coisa é uma coisa e é bom que cada coisa receba esse reconhecimento e esse amor. É claro que o mundo é o que é e sabemos que cada coisa é também uma outra coisa, real ou potencialmente. Mas agora parece que não temos que nos preocupar em fornecer relações e continuidades e ordens e estruturas – afinal, estas não podem ser evitadas, fazem parte da natureza das coisas. Se um bailarino dança – o que não é o mesmo que ter teorias sobre dançar ou querer dançar ou tentar dançar ou lembrar em seu corpo a dança de outra pessoa – mas se um bailarino dança, tudo está lá. O significado está lá. É como este apartamento onde moro – olho em volta pela manhã e me pergunto o que significa tudo isso? Isso significa: é aqui onde eu moro. Quando danço, isso significa: é isso que estou fazendo. Uma coisa é uma coisa “.

“Mas o prazer da dança não está em sua análise, embora algumas vezes podemos ser levados a pensar de outra maneira. A dança é uma atividade humana viva que, por sua própria natureza, faz parte de todos nós, espectadores e artistas. Não é a discussão, é fazer e ver “.

“Todos os meus envolvimentos com dançarinos que estavam preocupados com a dança como um transmissor da mensagem social ou campo de testes para tipos psicológicos não conseguiram destruir o sentimento que a dança está mais profundamente preocupada com o instante. Algo tão preciso e impermanente quanto respirar.”

 

Merce Cunningham Herb Ritts 1991Herb Ritts Merce Cunningham, Standing, New York, 1991Herb Ritts Merce Cunningham, Standing, New York, 1991 2
Merce Cunningham, The Impermanent Art, 1955

https://www.mercecunningham.org/the-work/writings/the-impermanent-art/

/

Cassiano Viana é editor do site About Light

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s