A arte de fotografar: Shomei Tomatsu

Pesquisando para um artigo sobre fotografia no Japão, esbarro nas fotos de Shomei Tomatsu (1930–2012).

E imediatamente lembro Barthes que, em A câmara clara, compara a fotografia japonesa ao haiku:

“Artifício da linguagem: diz-se revelar uma foto, mas aquilo que a ação química releva é o irrevelável, uma essência (de ferida), aquilo que não pode transformar-se mas apenas repetir-se sob a forma de insistência (do olhar insistente). Isto aproxima a Fotografia (certas fotografias) do Haiku, porque a noção de um haiku é também irrevelável. Tudo é dado, sem provocar o desejo nem sequer a possibilidade de uma expansão retórica”.

E desloco, para esse texto, algo da pesquisa que estava anotado e que faz sentido estar aqui: ali por 1932 é criada a primeira publicação japonesa sobre fotografia: a revista Kôga – nome formado a partir dos ideogramas luz (ko) e desenhar (ga).

Entre os fundadores da Kôga está um dos primeiros grandes mestres da fotografia japonesa: Ihei Kimura.

Os japoneses abandonavam, já naquele momento, a ideia de reprodução do real (shashin, sha = reprodução + shin= real) na fotografia.

Cassiano Viana (@vianacassiano) é editor do site About Light

Veja galeria de fotos de Shomei Tomatsu aqui

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s