Victor Squella escreve um poema para as mãos de Georgia O’Keeffe

as mãos lembram:
os pincéis, os ossos—
as cores também.

agora: os dedos abrindo a palma,
a pele macia (como uma fruta
de verão).

carne movendo através
de carne cavando por ossos num deserto
de linhas marcadas pelas cores— e pela luz.

a pouca cor e a pouca luz que não sabem
de onde vem mas há alguma nas marcas
das unhas— dos dedos na mão,

na palma.

Alfred Stieglitz Georgia O'Keeffe 5

/

Mulher no Deserto, Victor Squella
Foto: Alfred Stieglitz

 

Victor Squella, (Rio de Janeiro, Junho de 1994) escreve e traduz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s